Sexta-feira, 15.10.10

Âncoras

 

Há dias em que sentimos um aperto no peito e não sabemos porquê.

Depois há aqueles em que só nos apetece chorar e não sabemos porquê-

Outros em que parece que todos estão de mal connosco, que nos respondem mal, tratam mal e descarregam as frustrações em nós, e não sabemos porquê.

E outros ainda em que sentimos muito a falta duma pessoa.

Tentem agora juntar os três num só dia e digam-me se é fácil chegar ao fim sem verter uma lágrima, sem se sentirem nostálgicos, com mau feitio, tipo homens/mulheres das cavernas sem querer ver o mundo ou as pessoas que nele existem. Pois hoje foi esse dia. E teria sido mais fácil se pelo menos aquela pessoa lá estivesse, porque o seu sorriso contagia, a sua energia contagia, até as suas lágrimas são contagiantes. Como uma âncora impede-me de ir ao fundo, de me afundar, de me afogar, de me deixar cair. Hoje especialmente senti a tua falta e das coisas bonitas que fizemos juntas.

Sábado, 03.04.10

Tempo #2

É muito tempo...
É preciso dar tempo...
Tempo para pensar,
Tempo para sentir falta,
Tempo para ver
Tempo para sentir.
Durante o tempo que passou,
Pensei no tempo que aí vinha.
Depois, no tempo que faltava,
E agora,

Esse tempo chegou.

 

Foi muito tempo,

Precisamos de tempo.

 

anne marie às 21:18 | link do post | coment. | messages (4)

Anne Marie

C'est l'histoire de ma vie, racontée dans des mots qui sont le sommeil en vrac

É a história da minha vida, contada em palavras que fazem adormecer

mail

m.mariamica@sapo.pt

vieux

amis

blogs SAPO