Quarta-feira, 07.07.10

As esperanças desiludem

 

Modo off.
Desligo do mundo, parto para outra, sigo as minhas vontades e vivo ao sabor do vento. Não me importa se é tarde ou se é cedo, não me importa o que fazer amanhã, porque ainda tenho algumas horas do dia de hoje.
Desligo do mundo, parto para outra, não quero saber de escola, de pessoas, de stress e confusões. Não me importa que o autocarro esteja atrasado e que o teste esteja à porta.
Desligo do mundo, parto para outra, acabaram-se os trabalhos e os testes. Não me importa mais nada, só o sol, o mar, e aquelas pessoas que tiveram de ficar um pouco mais ausentes nas alturas críticas em que me enfiava em casa e estudar.
Desligo do mundo, parto para outra, porque as cadeiras estão todas feitas e só falta saber uma nota. Não me importa que seja só uma porque tenho esperanças, a esperança é forte de que as férias já chegaram.
Desligo do mundo, volto atrás. As esperanças desiludem-nos e a nota vem para nos estragar os planos.
Quando a motivação é pouca, a vontade inexistente, a cabeça já não trabalha, o corpo não reage, o que fazer?

 

Sábado, 13.03.10

#Un

 

Às vezes penso:

Como seria tomar café com um completo estranho e fumar uns cigarros entre dois dedos de conversa?

 

Domingo, 07.03.10

Momentos

 

 

Dizem eles que a vida é feita de pequenos momentos que devem ser vividos e aproveitados ao máximo. Momentos que se vivem tão intensamente que ficam eternamente gravados nas nossas memórias, nas nossas emoções, nas nossas histórias... Momentos que se pintam, floreiam, revistam, revivem. 

Eu digo que há momentos...

...em que acordo e penso que o amor que nos une é mais forte que qualquer coisa no mundo, mesmo que essa coisa seja considerada a mais forte do mundo!
...em que a vida me faz sentir como se tu e eu tivéssemos sido feitos um para o outro e que estávamos destinados a ficar juntos desde o momento em que nascemos.
...em que tu vens cá e eu vou aí, e que são considerados "os melhores" até à data em que os vivemos.

...em que me agarras a mão e eu tenho a certeza que nunca vais sair dali.
...em que eu te agarro a mão e sei que não vou a mais lado nenhum.
...em que te amo mais do que a minha própria vida.
...em que sinto tanto a tua falta que choro desalmadamente.

E depois há momentos...
...em que penso nas coisas de outra forma, e parece que o nosso amor afinal está a fraquejar.
...em que a vida me coloca em cima da mesa outras opções "e se", "e se", "e se".
...em que tu vens cá e eu vou aí, e apenas acontece sempre o mesmo.
...em que não me agarras a mão só porque te apetece, mas porque eu a procurei.
...em que eu não te dou a mão porque tu não me procuras e apetece-me fugir.
...em que sinto que tu não sentes a minha falta e choro desalmadamente.


Afinal, o que são momentos em três anos de namoro aos 19 anos e sem ter conhecido outra coisa para além disto?

Image: deviantart

Anne Marie

C'est l'histoire de ma vie, racontée dans des mots qui sont le sommeil en vrac

É a história da minha vida, contada em palavras que fazem adormecer

aujourd'hui, je

mail

m.mariamica@sapo.pt

vieux

amis

visiteurs

blogs SAPO