Quarta-feira, 01.02.12

Temps qui change la vie

O tempo muda a vida. Sim. Passou muito tempo. Passou algum tempo. Passou tanto tempo desde que aqui vim que já nada destas coisas que escrevi fazem sentido,por isso apaguei a maior parte. Afinal, foram apenas 7 meses. Apenas!? 
Atrevo-me a dizer que a Anne Marie cresceu. Com 21 anos, curso feito, desempregada. Depois de um amor de 4 anos separado por 300 km's, vive uma nova aventura. Já não é uma menina que se decepciona com qualquer coisa. Agora é uma mulher que só se decepciona se quiser.
Voltei, diferente. Mas voltei.
Ainda estão por aí?
anne marie às 23:06 | link do post | coment. | messages (5)
Sexta-feira, 06.05.11
Quinta-feira, 30.09.10

Ritmo

E, de repente o ritmo acelerou violentamente. Palpitações, suores, flash back e flash foward, tudo ao mesmo tempo invadiu a minha cabeça de abóbora que não conseguia assimilar tanta coisa. Lembro-me disto e daquilo, do tempo a voar e da música a entrar de rompante pelos meus ouvidos, formar uma bola na minha cabeça e, de repente sentir o corpo arrepiado e as notas musicais passarem-me diante dos olhos. Saltava e gritava, explodia de emoção e adrenalina sem sequer sentir qualquer tipo de dor nos pés ou nos braços que se mantinham erguidos no ar durante tempos e tempos. Apenas sentia que elevava os pés do chão e percorria aquele espaço com a multidão de gente que se aglomerava, mas a um ritmo completamente alucinante.
Tal como o sonho (real ou não), a vida tornou-se assim. Sem tempo e com um ritmo avassalador.

Segunda-feira, 14.06.10

Porras de uma vida

 

Os 20 já chegaram há algum tempo e, sim, sinto-me diferente.
Já não me sinto tanto uma menina grande que reclama com a vida e que nunca está satisfeita com nada. Já não venho para aqui contar como foi ontem, anteontem e como espero que o dia corra amanhã. A minha vida mudou, agora vejo tudo de maneira diferente. Vejo o passado de maneira diferente, tal como vejo o futuro. Vejo o curso, a faculdade, as amizades, os fins de semana e o mundo de maneira diferente. Agora tenho certezas de umas coisas e tremo de inseguranças por outras. Parece que afinal, já não existem facilitismos, já não nos podemos encostar àquela coluna fantástica do terraço da faculdade a fumar cigarros e a ter momentos de total diarreia cerebral. Agora já não podemos deixar as coisas para fazer no dia seguinte porque, agora, ficamos até às 03.00 da manhã a fazer trabalhos e a estudar para testes, quando podíamos ter feito os trabalhos antes e assim tínhamos tempo para estudar para os ditos testes. E se passássemos nos testes, tínhamos tempo para sair, ou para estar na ronha até às 14.00 a fazer zapping na televisão.
Agora, assumo que cometi um dos maiores erros de sempre. E estou a viver com isso.
Irritada. Possessa. Deprimida.
E invejosa, invejosa dele que está no Sul, que passou 45 minutos comigo da última vez, e que foi para festivais e beber copos nos bares das praias do Alentejo. Amuada por estar-se nas tintas. E acima de tudo chateada comigo por ser infantil e birrenta.
Há dias em que me enervo. Esses dias são óptimos para pôr a escrita em dia.

 

Anne Marie

C'est l'histoire de ma vie, racontée dans des mots qui sont le sommeil en vrac

É a história da minha vida, contada em palavras que fazem adormecer

aujourd'hui, je

mail

m.mariamica@sapo.pt

vieux

amis

visiteurs

blogs SAPO